Rede Cidade Digital, O que é Cidade Digital? Como funciona uma Cidade Digital? Como implementar Cidades Digitais? Lista das Cidades Digitais, Mapa das Cidades Digitais, Benefícios de uma Cidade Digital, Programa de Cidades Digitais do Governo Federal

Rede Cidade Digital - Educação: Guia orienta gestores sobre infraestrutura e conectividade
Educação: Guia orienta gestores sobre infraestrutura e conectividade

03/08/2016 10:57h

Educação: Guia orienta gestores sobre infraestrutura e conectividade

Nova seção oferece um mapa com orientações para ajudar secretarias a equiparem suas escolas de forma eficiente

O Porvir lança nesta terça-feira (2/8) uma nova versão do guia temático Tecnologia da Educação. O material, que já trazia informações sobre por que conectar as escolas à internet e metodologias de ensino que envolvem o uso de tecnologia, agora se dedica a orientar as secretarias sobre como planejar a infraestrutura de conectividade para impulsionar o aprendizado dos alunos.

Construído a partir de mais de 60 entrevistas com especialistas e integrantes de governos, empresas e instituições de ensino, o guia Tecnologia na Educação procura responder a quatro perguntas essenciais para construir um mapa de orientações para conectividade: “Qual o modelo de conexão?”, “Como distribuir o sinal de internet?”, “Quais equipamentos serão usados?” e “Como será feita a manutenção?”.

- Clique para acessar o guia temático Tecnologia na Educação

Para que políticas não sejam interrompidas e o trabalho na rede seja consistente, gestores precisam resolver uma equação que envolve os recursos financeiros disponíveis, a infraestrutura já existente e os objetivos pedagógicos. Por isso, o guia traz diferentes decisões e experiências já colocadas em prática por secretarias em todo o país para inspirar novas práticas em outras redes. Para resolver o desafio da conexão da internet, por exemplo, São Paulo e Paraná optam por centralizar a contratação do link de internet de fibra ótica, junto com outros serviços como saúde e segurança, enquanto Alagoas prefere descentralizar, fornecendo recursos diretamente para as escolas. Independente da forma de contratação, o especial chama a atenção para a necessidade de garantir uma velocidade de conexão de pelo menos 10 Megabits por segundo para que seja possível o uso de plataformas digitais mais robustas.

Além da contratação da conexão, o guia mostra as opções para distribuir o sinal de internet na escola e explica o que a transmissão via cabo ou wi-fi possibilitam. Em um caso de escola que tem o sinal de internet sem fio por toda a escola, traz a palavra da diretora da escola Desembargador Amorim Lima, de São Paulo, que oferece conexão sem fio em todas as suas dependências. Na instituição, alunos conseguem subir projetos de vídeos direto para a plataforma pedagógica em questão de segundos, por conta de um link de 100 Mbps de velocidade.

Outro ponto analisado diz respeito aos equipamentos que são usados por professores e alunos. Os computadores desktop, que atualmente dominam os laboratórios de informática, limitam a personalização do ensino, entretanto, até mesmo os dispositivos móveis impõem desafios à escola, como a formação de professores e a administração do uso. Você já deve ter ouvido falar da estratégia de Um Computador por Aluno, certo? Então conheça a iniciativa de Piraí, município do Rio de Janeiro que há sete anos mantém viva uma política pública que permite a cada estudante usar seu próprio notebook educacional durante as aulas.

Para que o plano de conectividade não caia por terra, o material ainda aborda os desafios da manutenção e de como um município como Joinville (SC) centraliza o atendimento e usa uma equipe interna para reparar os equipamentos, enquanto redes como a de Pernambuco optam por centralizar a gestão, mas delegam a uma terceirizada o serviço junto às escolas.

Todo esse quadro de opções é materializado com o plano de conectividade de dois estados, Pernambuco (que ainda está em fase preliminar) e São Paulo, que responderam às perguntas enviadas pelo Porvir e ajudaram a criar um raio-X de suas redes.

“Não existe um caminho único para garantir infraestrutura para as escolas usarem a tecnologia com fins pedagógicos. Apesar de cada secretaria ter suas próprias características, mostramos no guia Tecnologia na Educação exemplos de práticas e decisões que podem ser adaptadas em diferentes contextos”, afirma Vinícius de Oliveira, subeditor do Porvir que produziu o material.

O guia temático está disponível no endereço porvir.org/especiais/tecnologia/. Na página, gestores ainda encontram uma tabela para download com as opções a serem consideradas no planejamento de estratégias das redes.

Via Porvir