Rede Cidade Digital, O que é Cidade Digital? Como funciona uma Cidade Digital? Como implementar Cidades Digitais? Lista das Cidades Digitais, Mapa das Cidades Digitais, Benefícios de uma Cidade Digital, Programa de Cidades Digitais do Governo Federal

Rede Cidade Digital - Governo discute como popularizar serviços de e-gov
Governo discute como popularizar serviços de e-gov

23/07/2013 16:58h

Governo discute como popularizar serviços de e-gov

O evento é gratuito e convoca governo, movimentos sociais, hackativistas, pesquisadores e estudantes para dialogar sobre as tecnologias que facilitam o acesso a serviços públicos e a cidadania participativa

Em agosto, acontece o VI Congresso Internacional
Software Livre e Governo Eletrônico. (Imagem:
Divulgação)

De 13 a 15 de agosto, Brasília abrigará o maior evento de governo eletrônico do país. Em sua sexta edição, o Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico (Consegi) promove novos debates sobre tecnologias que podem ampliar o acesso à informação, fomentar a participação popular, agilizar a prestação de serviços públicos e melhorar a vida das pessoas.

O Consegi 2013, realizado pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), é gratuito e está com inscrições abertas pelo site www.consegi.gov.br. O evento oferece mais de 150 palestras e 1.500 vagas em cerca de 50 oficinas de temas variados, como edição de músicas e vídeos, animação gráfica ou criação de aplicativos móveis e robôs com softwares livres. Depois de discutir assuntos como mobilidade digital, computação em nuvem e dados abertos, o congresso terá como tema central Portabilidade, Colaboração e Integração. Juntos, esses três tópicos permitem que os serviços de e-gov cheguem cada vez mais à população, e por isso, compõem o tema desta edição.

A colaboração, por exemplo, é um princípio básico da filosofia do software livre, a qual propaga que empresas e pessoas compartilhem códigos-fonte e programas de computador abertamente. A proposta da integração, por sua vez, é incentivar a construção de padrões de interoperabilidade para dados e sistemas. Já a portabilidade é o que possibilita que esses dados e sistemas fiquem acessíveis em diferentes hardwares, como celulares e tablets - uma necessidade cada vez mais urgente para que o Estado acompanhe a evolução das telecomunicações no Brasil.

Destaques

Entre os nomes já confirmados para o Consegi 2013 estão o sul-africano Thomas Fogwill, um dos criadores do popular sistema operacional livre Ubuntu; o americano Monty Taylor, expert em computação em nuvem da HP (Hewlett-Packard); o alemão Florian Effenberger, presidente da The Document Foundation, instituição por trás da suíte de escritório LibreOffice; o Ph.D brasileiro especialista em segurança cibernética Pedro Rezende; o Transparência Hacker, um coletivo de hackers famoso por criar soluções que disseminam dados governamentais abertos para a sociedade; o deputado federal Alessandro Molon, relator do projeto de lei do Marco Civil da Internet; e a uruguaia Carolina Cosse, presidente da estatal de telecomunicações que vai falar sobre a experiência bem-sucedida em banda larga de seu país.

O Consegi 2013 traz ainda eventos paralelos como o Install Fest, um festival de instalação de softwares, o Encontro de Empreendedorismo, em parceira com o Sebrae, e a Tenda Jovem, que traz oficinas relacionadas à cultura digital para estudantes da rede pública do DF e entorno. Ainda focado na juventude, o evento disponibiliza, pela quarta vez, uma infraestrutura de acampamento com 700 vagas para alunos de institutos e de universidades federais que vêm ao congresso em caravanas de todos os Estados.

O Consegi conta com o patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Itaipu Binacional, da Caixa Econômica Federal (CEF), da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), além do apoio do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), do Ministério das Relações Exteriores (MRE), da Secretaria-Geral da Presidência da República, do Governo do Distrito Federal (GDF), da Escola de Administração Fazendária (Esaf), da Fundação Alexandre Gusmão (Funag), do Jardim Botânico de Brasília e da World Intellectual Property Organization (Wipo).

Via Assessoria de Imprensa