Rede Cidade Digital, O que é Cidade Digital? Como funciona uma Cidade Digital? Como implementar Cidades Digitais? Lista das Cidades Digitais, Mapa das Cidades Digitais, Benefícios de uma Cidade Digital, Programa de Cidades Digitais do Governo Federal

Rede Cidade Digital - Com mais 600 km de fibras, Exército começa segunda fase do Amazônia Conectada
Com mais 600 km de fibras, Exército começa segunda fase do Amazônia Conectada

18/04/2017 15:01h

Com mais 600 km de fibras, Exército começa segunda fase do Amazônia Conectada

A meta do projeto é instalar quase 8 mil km de fibras ópticas entre mais de 50 municípios

O Exército começa até o fim de abril a segunda etapa do projeto Amazônia Conectada, empreitada que tem como meta lançar quase 8 mil km de fibras ópticas para interligar 52 municípios da região com fibras ópticas implantadas no leito dos rios amazônicos. A expectativa é de que em 24/4 comecem a ser lançados cabos subfluviais entre Manaus e Coari, em fase que também pretende ligar a capital do Amazonas à Novo Airão.

São, assim, mais 600 km de cabos de fibras ópticas a serem implantados em duas infovias distintas. Cerca de 450 km na rota que segue pelo Alto Solimões e tem o objetivo final de alcançar a cidade de Tabatinga, na fronteira com a Colômbia, conectando 20 municípios ao longo do caminho. 

Essa etapa específica vai cobrir a brecha deixada pelo uso inicialmente previsto das fibras do gasoduto Urucu-Coari-Manaus, que apesar de cedidas à Telebras jamais foram ‘iluminadas’. E vai se conectar ao trecho de 220 km já concluído na primeira etapa, entre Coari e Tefé. 

Também já foram entregues ao projeto as fibras para outro trecho, entre Manaus e Novo Airão, este no que o Exército chama de infovia do Alto Rio Negro, que tem como meta alcançar São Gabriel da Cachoeira. A ideia já seria alcançar o município de Barcelos, coisa de 450 km mais acima do rio, mas até aqui o Exército estima contar com metade dos R$ 70 milhões que previa investir em 2017. 

Assim, a chegada até Barcelos vai depender do que for possível obter de recursos ainda este ano. Por enquanto, segundo explica o coordenador do Amazônia Conectada, major Luciano Sales, “estamos trabalhando com a meta de R$ 30 a R$ 40 milhões para viabilizar o quarto estágio, Tefé/Fonte Boa - Novo Airão/Barcelos - Manaus/Itacoatiara.”

Via: Convergência Digital