Rede Cidade Digital, O que é Cidade Digital? Como funciona uma Cidade Digital? Como implementar Cidades Digitais? Lista das Cidades Digitais, Mapa das Cidades Digitais, Benefícios de uma Cidade Digital, Programa de Cidades Digitais do Governo Federal

Rede Cidade Digital - Fórum Binacional de Cidades Digitais do RS trata de tecnologia nos municípios
Fórum Binacional de Cidades Digitais do RS trata de tecnologia nos municípios

Por Sharlene Sarti em 10/05/2018 17:40h

Fórum Binacional de Cidades Digitais do RS trata de tecnologia nos municípios

Internet para Todos ainda tem baixa adesão no Estado; Evento certifica Projetos Inovadores

Gestores públicos de 30 municípios participaram nesta quinta-feira (10) em Bagé do I Fórum Binacional de Cidades Digitais do Rio Grande do Sul, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de Bagé, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI), em busca de soluções e modelos para suas localidades.

Com a necessidade cada vez mais de se ter eficiência de gestão, prefeitos, secretários e especialistas destacaram a importância da adoção das Tecnologias da Informação e Comunicação no processo de desenvolvimento das localidades. “Nada mais oportuno de nos integrarmos por meio desse avanço digital. Trabalhamos essa temática como prioridade, pois estamos todos voltados para essa nova era. O caminho é esse para nós, gestores, sabermos cada vez mais dos cidadãos e dos nossos municípios”, frisou o prefeito de Manoel Viana e presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Pampa Gaúcho (CODEPAMPA), Gustavo Medeiros.

Medeiros e os prefeitos de Aceguá, Alegrete, Bagé, Pelotas, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, São Borja, São Gabriel, São Lourenço do Sul, além da Câmara de Vereadores de São Gabriel, pela criação de um aplicativo que recebe as demandas da população, foram homenageados na manhã desta quinta com a certificação por projetos inovadores em andamento nas localidades.

O São Gabriel+Segura é um dos exemplos de inovação na segurança pública. De acordo com o prefeito, Rossano Gonçalves, o projeto tem contribuído na solução de crimes por meio da integração com as câmeras do comércio local. “Não é preciso muitas vezes dinheiro, mas sim parceria. Integrar o que tem”, observou o prefeito.

Outro modelo de integração de serviços públicos está em andamento em Bagé através da implantação de uma parceria público-privada (PPP) para iluminação pública, que pretende melhorar a qualidade do parque de iluminação, com a troca para lâmpadas LED e embarcar outros serviços para a população.

Atualmente, 90% das luminárias da cidade são de vapor de sódio. A proposta prevê concessão de 30 anos do serviço, garantindo manutenção e modernização dos quase 14 mil pontos de luz sem custos aos cofres públicos.

Conforme explica o assessor de gabinete, Alexandre Camargo, a PPP irá viabilizar a adoção de outras tecnologias pela Prefeitura como câmeras de monitoramento e wi-fi. “Essa automatização nos dará um controle total em tempo real, economia de 60% na conta de energia com a troca para luminárias LED, além da expansão da rede, do atendimento ao cidadão e o sistema de telegestão”, observou.

O vice-prefeito de Bagé, Manoel Machado, também ressaltou a cooperação entre os municípios da fronteira e metade sul do Estado para o desenvolvimento de projetos inovadores que gerem emprego e renda . “A tecnologia chegou nos trazendo meios para acelerar o processo de desenvolvimento. Hoje Bagé já tem vários projetos nessa área e acho que esse fórum vai colaborar muito para que haja uma disseminação dessa consciência de implantar projetos usando essa tecnologia que nos traz hoje aqui a Rede Cidade Digital”, frisou.

Internet para Todos – As políticas públicas federais, direcionadas para aumentar a conectividade das localidades, foram apresentadas aos gestores durante o Fórum, em especial o programa Internet para Todos, que pretende levar conexão via satélite a baixo custo para a população afastada dos centros urbanos. No Rio Grande do Sul, a adesão ainda é baixa, segundo o coordenador de Sistemas do Departamento de Inclusão Digital, órgão ligado à Secretaria de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Renan Tolentino.

Terceiro maior estado do país em número de municípios, com 497, menos da metade dessa parcela acessou o sistema do programa e apenas 61 assinaram o termo de adesão. Tolentino também aponta a falta de qualidade técnica das propostas que chegam ao Ministério para as demais possibilidades de captação de verba.

É o caso das emendas parlamentares, umas das principais entradas para viabilizar a implantação de infraestrutura de cidade digital atualmente. “O recurso é escasso, mas ainda se perde muito. O valor maior está no conhecimento e nas coisas que estão prontas para implantar o projeto da melhor forma”, disse o coordenador.

Para o diretor da RCD, José Marinho, o encontro, além de conectar gestores públicos, reforça a importância dos municípios darem maior destaque aos setores de TI. “Tecnologia é o eixo transversal na administração pública, capaz de levar soluções, garantir bem-estar social, melhorar os processos, entre outros inúmeros benefícios”, pontuou, informando que um novo encontro no Rio Grande do Sul já está marcado visando fomentar o desenvolvimento regional por meio da tecnologia: será em São Sepé, no Centro do Estado, no dia 14 de junho.

O I Fórum Binacional de Cidades Digitais do RS teve o patrocínio ouro da 1Doc, prata da Digistar, Inovadora e DBSeller e bronze da PITFALL Sistemas e da Companhia Paulista de Desenvolvimento (CPD), além do apoio da Associação de Municípios da Região Sudoeste do Estado (Assudoeste), Centro de Formación para la Integración Regional (CEFIR), Universidade da Região da Campanha (URCAMP), TV Câmara Bagé, Câmara de Vereadores de Bagé, Consulado Uruguai, ZapTche, Fenícia Hotel e Dallé Hotel.