Rede Cidade Digital, O que é Cidade Digital? Como funciona uma Cidade Digital? Como implementar Cidades Digitais? Lista das Cidades Digitais, Mapa das Cidades Digitais, Benefícios de uma Cidade Digital, Programa de Cidades Digitais do Governo Federal

Rede Cidade Digital - Anatel aprova consulta pública para Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações
Anatel aprova consulta pública para Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações

09/07/2018 15:44h

Anatel aprova consulta pública para Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações

Plano propõe que municípios ao norte de Minas, interior da Região Nordeste e região amazônica sejam contemplados com internet via fibra ótica

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou submeter à consulta pública por 30 dias, para recebimento de contribuições da sociedade, o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT-2018), que propõem ações para a ampliação do acesso aos serviços de banda larga. O PERT-2018 apresenta uma análise da situação das redes de dados no país com propostas de políticas públicas e, dessa forma, deve orientar investimentos públicos e privados em telecomunicações nos próximos anos. A decisão foi tomada durante reunião do Conselho Diretor da Anatel nesta quinta-feira (28) em Brasília.

De acordo com o PERT-2018, foram identificados 2.345 municípios no norte de Minas Gerais, interior da Região Nordeste e na região amazônica sem acesso à Internet por fibra ótica, o que representa 14% da população brasileira. O Plano aprovado propõe que 75% desses municípios (95% dessa população) sejam atendidos com fibra até o ano 2022 e o restantes com Internet via rádio de alta capacidade. No Brasil, 2.012 distritos que não são sedes municipais não tem telefonia móvel e não há presença de redes de 4G em municípios de até 30 mil habitantes. Para isso, se propõe a instalação de telefonia 3G ou superior nos distritos sem atendimento e instalação de 4G em cidades de até 30 mil habitantes. Além disso, se identificou 2.221 municípios com fibra ótica e baixa velocidade média residencial. Como solução se propõe a implantação de redes de acesso de alta velocidade em 60% dos domicílios.

Em complemento, a Anatel decidiu encaminhar ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) anteprojeto de lei que amplia a abrangência do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) para estimular a expansão e a melhoria das redes de telecomunicações, ampliar as receitas do FUST com redução da arrecadação do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (FISTEL) e estabelecer isenção das taxas de fiscalização para estações móveis que integrem sistemas de comunicação máquina-a-máquina como uma forma de incentivo à Internet das Coisas (IoT). Após a apreciação do MCTIC, o anteprojeto poderá ser encaminhado à Presidência da República para posterior envio ao Congresso Nacional.

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, entendeu que as fontes de financiamento do PERT-2018 são incertas. Dessa forma, ele propôs encaminhar o anteprojeto de lei diretamente ao MCTIC, enquanto a posição do relator da matéria, conselheiro Aníbal Diniz, era de submissão à consulta pública. A proposta do presidente foi aceita pelo relator e o conselheiro da Anatel Otavio Luiz Rodrigues Junior ressaltou que essa é uma dinâmica mais ágil. O conselheiro da Anatel Emmanoel Campelo elogiou o relator do PERT-2018, “o conselheiro Aníbal fez mais do que lhe incumbia e elaborou uma minuta de projeto de lei para sanar os vários problemas para aplicação de recursos (no PERT-2018)”.

Via: Anatel