Ir para conteúdo

Evento com Prefeituras do Centro-Oeste Paulista encerra atividades da Rede Cidade Digital em 2021

Prefeitos e gestores de Bauru, Botucatu, Macatuba e Paranapanema mostram como as administrações municipais estão investindo em tecnologia para desenvolver localidades. Gerente da Rede Gov.Br apresenta políticas públicas do Ministério da Economia que podem apoiar a transformação digital nos municípios

Painel CentroOEsteSP

OUÇA O ÁUDIO

Prefeitos, gestores e servidores de 70 municípios participaram nesta terça-feira (14) do Webinar das Cidades Digitais do Centro-Oeste Paulista para troca de experiências e apresentação de soluções que visam tornar os serviços públicos mais conectados e eficientes.

Foi o último evento promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em 2021 e mostrou como as Prefeituras de Bauru, Botucatu, Macatuba e Paranapanema investem na modernização da máquina pública. “Foram 77 eventos online e consecutivos realizados pela Rede Cidade Digital desde o início da pandemia em várias regiões do país, em 15 estados diferentes, buscando trazer conteúdo, informação e soluções que possam ajudar os municípios a implantarem processos de inovação, principalmente nesse momento em que a pandemia mostrou que há a necessidade, cada vez mais, de se investir em tecnologia para desenvolver as cidades”, disse a diretora de comunicação da RCD, Sharlene Sarti.

“Esses eventos vêm mostrando que muitas cidades ainda precisam se modernizar, se reinventar, melhorar os seus processos e investir em tecnologia em todas as áreas”, observou a diretora, adiantando que em 2022 está prevista a realização de um Fórum de Cidades Digitais e Inteligentes para o Centro-Oeste Paulista, em Marília.

No encontro, apresentado pela jornalista Valdireni Alves, o gerente da Rede Gov.br na Secretaria de Governo Digital, do Ministério da Economia, Régis Oliveira, trouxe detalhes das políticas públicas disponíveis para apoiar a transformação digital.

Segundo ele, a estratégia brasileira de governo digital é focada no cidadão e não se limita à melhoria dos processos, buscando ser um governo mais integrado e que interopera dados para exigir cada vez menos informações do cidadão que já são de posse do governo. “Ele utiliza esses dados de modo inteligente para ofertar serviços mais aderentes à necessidade de cada individuo, é mais confiável para o cidadão, transparente, aberto e é um governo eficiente acima de tudo, é mais assertivo nas suas ações e gera economia tanto para o estado quanto para o cidadão”, destaca.

O prefeito de Paranapanema, Rodolfo Fanganiello, conta que o programa São Paulo sem papel, do governo do Estado, ajudou o município a iniciar o seu processo de digitalização ao mesmo tempo em que a cidade busca ser mais sustentável, começando com a implantação de uma usina de resíduos sólidos em 2022. “Acho que as Prefeituras têm que começar a pensar nesse conceito de cidade inteligente. A tecnologia a favor do poder público gera economia”, ressaltou o prefeito.

Botucatu também deve contar com uma usina fotovoltaica a partir do próximo ano, segundo o secretário de Gabinete, Gilberto Mariotto Peres. O município, de 150 mil habitantes, foi contemplado com um projeto de eficiência energética para os dois maiores pontos públicos consumidores de energia: os prontos-socorros da cidade.

Outro projeto previsto para ser implantado em março, destaca Peres, é a muralha digital em pontos estratégicos da cidade. “Esse sistema também vai permitir que empresários, que queiram contribuir, compartilhem imagem das suas câmeras com o sistema público municipal para que a gente possa ampliar ainda mais a segurança da cidade”, explica.
O prefeito de Macatuba, Anderson Ferreira, também destacou a importância da tecnologia e inovação no desenvolvimento econômico da cidade.

Ele conta que atualmente a administração municipal já consegue fazer serviços de fiscalização utilizando equipamentos mobile. “Fiscalização de posturas, tributária, do cumprimento dos protocolos de covid, tirando a prancheta e a caneta dos agentes de fiscalização. Passamos a utilizar pregão eletrônico também e agora estamos implantando o protocolo digital”, enumera o prefeito, destacando ainda projetos futuros como o sistema de videomonitoramento e modernização da iluminação pública. “Independente do porte do município, acho que é certo que o desenvolvimento econômico passa por essa questão”, avalia o prefeito.

Saúde - Com aproximadamente 380 mil habitantes, Bauru possui uma infraestrutura própria para atender toda a demanda tecnológica do município. Um sistema desenvolvido para o agendamento de vacinação contra a covid-19 é um dos cases de sucesso, conforme destaca a diretora do Departamento de Processamento de Dados da Prefeitura de Bauru, Ana Ligia C. Da Conceição.

"Não houve fila de espera, as unidades se organizaram muito bem e foi um sucesso tanto a distribuição da vacina quanto o agendamento. São muitas pessoas que conseguimos atender por conta desse trabalho conjunto com a Secretaria de Saúde”, enalteceu. “Outro item dentro desse sistema de vacina é a questão do controle e dos indicadores. Temos hoje uma base de dados com aproximadamente 300 mil registros de pessoas que já se vacinaram em Bauru ou agendaram”, completou a diretora sobre o controle e comunicação feita com os munícipes através de WhatsApp”.

O Webinar das Cidades Digitais do Centro-Oeste Paulista teve a parceria da S. Clara Comunicação, Banco de Preços, Sigma Telecom, Furukawa, Betha Sistemas e Valid.

Confira o evento na íntegra:
https://youtu.be/rSNGN6p1HBY

Autor: Sharlene Sarti
Fonte: Rede Cidade Digital

COMPARTILHE

Rede Cidade Digital

Rua Marechal Deodoro 252 - Centro

CEP: 80.010-010

Telefone: (41)3015-6812

caracteres restantes