Ir para conteúdo

Fórum de Cidades Digitais e Inteligentes em Foz destaca papel da tecnologia no desenvolvimento

Prefeitos, secretários e gestores de 40 municípios participam do evento realizado no Parque Tecnológico Itaipu

Fórum foz

OUÇA O ÁUDIO

Ferramentas tecnológicas podem ser agentes de transformação nos municípios. Foi o que destacaram em Foz do Iguaçu prefeitos, gestores, especialistas e empresários que participaram, nesta sexta-feira (19), do Fórum de Cidades Digitais do Oeste Paranaense, realizado no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), por meio de uma parceria entre Rede Cidade Digital (RCD), Prefeitura de Foz do Iguaçu e PTI.

O primeiro evento presencial organizado pela RCD desde o início da pandemia reuniu representantes de 40 Prefeituras e abordou diversas soluções e inovações que aumentem a eficiência dos serviços públicos. “São vários eixos que devem se complementar para os dias atuais quando falamos de cidades digitais, conectadas e inteligentes. Sabemos que a pandemia acelerou o processo de transformação digital nas cidades, o que reforça ainda mais a importância deste evento para trazer conhecimentos que possam auxiliar os gestores neste momento”, disse o diretor da RCD, José Marinho.

O prefeito anfitrião, Chico Brasileiro, destacou a importância dos municípios terem políticas de inovação e de cidades inteligentes para desenvolver as cidades. “Sabemos dos desafios da gestão pública, dos entraves que temos na máquina púbica e quando a gente digitaliza processos, quando a gente faz que a tecnologia esteja aliada ao processo de gestão a gente avança muito mais”, afirmou o prefeito de Foz do Iguaçu ao comentar sobre a redução do prazo para abertura de empresas na cidade. “Foz do Iguaçu para abrir uma empresa praticamente demorava de seis meses a um ano. Foi com esse processo digital e a parceria com o Sebrae que conseguimos avançar e terminamos o ranking nacional do ano passado em oitavo lugar na abertura de empresas do Brasil. Investir em processos e tecnologias dentro da gestão pública traz um resultado extraordinário. Isso significa mais empresas, mais empregos, modernização e ajuda da gestão pública”, analisou Brasileiro. “A gente precisa atender a demanda e isso é possível através da inovação e da tecnologia”, comentou também o prefeito de Medianeira, Antônio França.

O diretor de Negócios e Inovação do PTI, Rodrigo Régis, ressaltou que o principal objetivo da cidade inteligente é melhorar a vida das pessoas. “Além de melhorar a qualidade de vida do cidadão, a gente pode estimular outra coisa que é importante nesse país que é o empreendedorismo e a inovação. É através de acesso à tecnologias e a criatividade das pessoas em desenvolver problemas reais da cidade que a gente vai estimular novas soluções locais para resolver problemas globais”, argumenta.

Além do fomento à inovação, investir em tecnologia na redução da burocracia é outro fator importante para fomentar a economia, conforme lembra o consultor especialista em Políticas Públicas do Sebrae/PR, Luiz Marcelo Padilha. “Estamos em uma outra etapa com o governo do Estado para facilitar ainda mais os processos, no mês de dezembro vamos fazer o lançamento de um novo projeto para facilitar as licenças empresariais dos municípios”, adianta.

A Lei de Inovação Estadual é outro instrumento que vem sendo trabalhado para facilitar o processo de desenvolvimento das localidades, segundo a diretora de Projetos da Superintendência Geral de Inovação (SGI) do Governo do Estado do Paraná, Raquel Dall Asta Rink. “Temos que trabalhar em conjunto com empresas privadas, academia, com institutos de pesquisas para que todos esses ativos na prática funcionem”, completa.

5G nas cidades - Melhorar a conectividade é outro ponto importante na promoção do desenvolvimento regional. De acordo com o coordenador-Geral de Aprimoramento do Ambiente de Investimentos do Ministério das Comunicações, Otto Solino, que participou virtualmente do evento em Foz do Iguaçu, o 5G vai permitir o desenvolvimento pleno da internet das coisas e implantação das cidades inteligentes, melhorando atendimentos na saúde, como a aplicação de telemedicina, e possibilitando a conexão de diversos serviços públicos como segurança, iluminação e trânsito.  

O representante do MCom trouxe detalhes de como as Prefeituras devem se preparar para a chegada da nova tecnologia. Outro ponto importante, lembra ele, são as contrapartidas dispostas no edital do 5G para as operadoras de telecom que farão a expansão da rede 4G, principalmente, para localidades desprovidas de internet. “Muitos municípios estão com legislação muito antiga e em desacordo com a Lei Geral das Antenas. De forma a estimular que os municípios façam essas adequações, o edital do 5G foi estabelecido uma preferência às prestadoras que se sagrarem vencedoras. E dentro do prazo estabelecido, o atendimento dos compromissos poderá se iniciar a partir de municípios cujas legislações e procedimentos administrativos estejam em aderência à Lei das Antenas”, explica.

Participaram ainda do evento os prefeitos de Pato Bragado, Leomar Roden (Mano), e de Guaíra e presidente do Conselho dos Municípios Lindeiros, Heraldo Trento. Temas como cidades seguras, energia solar e processos eletrônicos também foram tratados durante o Fórum de Cidades Digitais e Inteligentes do Oeste Paranaense.

O evento teve o patrocínio Ouro da 1Doc, Prínter do Brasil, Perfilcomp e Aprova Digital; patrocínio prata da Sigma Telecom/Furukawa, Dígitro, Betha Sistemas e Head Net Tecnologia, e o apoio da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop) e do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu.

 

Foto: Kiko Sierich (Fotojornalista do PTI)

 

 

 

 

 

 

Autor: Sharlene Sarti
Fonte: Rede Cidade Digital

COMPARTILHE

Rede Cidade Digital

Rua Marechal Deodoro 252 - Centro

CEP: 80.010-010

Telefone: (41)3015-6812

caracteres restantes