Ir para conteúdo

Legislação e integração dos sistemas são passos fundamentais para Gestão sem Papel nas cidades

Rede Cidade Digital promoveu Workshop sobre o tema para gestores públicos do país nesta quinta-feira (13)

Gestão sem papel

OUÇA O ÁUDIO

Uma Prefeitura 100% digital vai muito além da tramitação das demandas do cidadão de forma eletrônica. A gestão sem papel tem sido uma das grandes demandas atuais da administração pública, seja no âmbito federal, estadual e municipal, e vem sendo uma necessidade crescente, impulsionada pela pandemia do novo coronavírus.

“Pra ser 100% digital, além de ter a pasta digital, a rastreabilidade, tem que ter a assinatura com certificação digital. Isso tem que estar amarrado do início ao fim”, orientou a diretora de Marketing e Negócios da Sonner, Larissa Tavares, durante Workshop promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) a gestores públicos de diversas cidades e estados brasileiros, nesta quinta-feira (13).

Segundo a diretora, a integração de sistemas e serviços é um dos passos para uma gestão mais eficiente e conectada com o cidadão. “Cada cidade vai ter um processo diferente, cada cidade vai mapear o fluxo para entender o que é possível fazer”, observa.

Larissa também ressalta a necessidade dos municípios legitimarem a ação de digitalização por meio de decretos que garantam a institucionalização da tramitação de processos digitais. “Esse momento que estamos vivendo é um programa de aceleração. A gente vê como estamos em um caminho de digitalização sem volta”, frisa ela sobre a transformação digital impulsionada nos órgãos públicos em meio à crise sanitária.

Ela cita os exemplos de prefeituras que ganharam em eficiência. Enquanto Andradas, no Sul de Minas Gerais, reduziu em 40% os custos com papel, São Roque, no Estado de São Paulo, obteve um aumento em cerca de 40% na capacidade de atendimento com a digitalização dos processos. “Ter uma plataforma integrada é o que realmente possibilita uma gestão sem papel”.

Assis, no Centro-Oeste Paulista, é outra cidade que investe na informatização dos processos e implanta o programa Prefeitura sem Papel. De acordo com o gerente de Infraestrutura de TI da Prefeitura de Assis, João Gabriel S. Candido, houve uma redução anual de R$50 mil somente com a implantação, em 2017, do Diário Oficial Eletrônico, eliminando os serviços de impressão gráfica.

A integração entre Prefeitura e Legislativo Municipal foi outra inovação adotada para receber as demandas dos vereadores de forma eletrônica. “Quando você fala na mudança de cultura, no primeiro momento é impacto, mas depois não vivem sem”, disse ele sobre a adaptação dos servidores na forma de trabalho.

De acordo com o gerente, a comunicação interna da Prefeitura também já tramita de forma eletrônica. “Está em fase de desenvolvimento o Processo de digitalização e guarda física de documentos municipais, respeitando a Temporalidade de cada tipo de documento”, explica.

O diretor da RCD, José Marinho, também lembra sobre a importância de se desenvolver soluções que atendam às necessidades do cidadão. “Que facilitem e melhorem a qualidade de vida das pessoas. Investir em tecnologia e inovação abre inúmeras possibilidades de desenvolvimento socioeconômico de uma cidade”, ressalta o diretor.

 

Autor: Sharlene Sarti
Fonte: Rede Cidade Digital

COMPARTILHE

Rede Cidade Digital

Rua Marechal Deodoro 252 - Centro

CEP: 80.010-010

Telefone: (41)3015-6812

caracteres restantes